Cozinhar com Amor – artigo no Simply Flow by Fátima Lopes

23 Feb 2018 no comments daniela Categories Blog, Viagens da Comida Saudável

Como é apanágio de Fevereiro, esta é uma quadra propensa para o Amor que paira no ar e, por isso, Cozinhar com Amor é imperativo! Seja neste mês, como em todos os outros dias. A Fátima Lopes, conhecendo bem o meu trabalho, pediu-me para escrever um artigo para a sua plataforma de saúde e bem-estar – Simply Flow by Fátima Lopes.

Cozinhar é uma forma de amar

Cozinhar e comer estão intimamente ligados, como é fácil de perceber. “Cozinhar é uma forma de Amar.” Esta é uma frase de Mia Couto que, quando li pela primeira vez, adorei, mas não percebi logo a profundidade deste conceito…

Cozinhar é uma forma de amar, pois de uma forma descomprometida esforçamo-nos por dar aos outros o que sabemos fazer de melhor, porque os amamos e os queremos nutrir. E, são os afectos que nutrimos pelos outros que tornam esta actividade em algo belo e único.

Mas, se cozinhar é uma forma de amar, comer é um acto de amor connosco! Acredito que comer é um gesto de amor-próprio importantíssimo, que o acto de comer é mais do que ingerir nutrientes. Que através deles podemos ingerir energias subtis e transformar as nossas vidas e a de todos os que nos rodeiam através das escolhas que fazemos.

A importância de fazer uma alimentação saudável

Cozinhar é pegar no poder da Natureza, conjugá-la, mesclá-la e fazer pratos cheios de energia, vitalidade e amor, que nutrirão todas as facetas do nosso ser e dos seres por nós amados. Nada melhor do que fazer uma alimentação saudável, com alimentos conscientes e naturais, pois são os mais saudáveis para o nosso corpo.

Nesta altura do ano, que ainda se sente bastante o frio, nada melhor do que fazer refeições saudáveis com alimentos que nos aqueçam a alma, o coração e o corpo. Por isso, deixo-vos como sugestão duas receitas que podem encontrar no meu livro “Cozinhar com Amor” e que combinam na perfeição, fazendo com que o prato fique completo nutricionalmente!

daniela ricardo1
Daniela Ricardo com Fátima Lopes ( Cozinhar com Amor)

Soba salteada com bok choy

A palavra soba significa trigo-sarraceno na língua japonesa. No entanto é genericamente utilizada para denominar a massa no oriente. Em Portugal esta denominação é utilizada somente para a massa de trigo-sarraceno. Esta é uma massa excelente para usar no inverno. Nas outras estações do ano, faça esta mesma receita com outro tipo de massa – udon, noodles, massa de arroz ou até mesmo com a nossa conhecida esparguete.

Grau de dificuldade: Fácil
Tempo de preparação: 20 min
Rendimento: 4 pessoas
Sem Glúten – Sem lactose – Vegan

Ingredientes:

  • 1 pacote de soba (massa de trigo sarraceno)

  • 1 colher de sopa de óleo de sésamo

  • 1 colher de sopa de gengibre fresco picado

  • 3 dentes de alho grandes, picados

  • 2 colheres de sopa shoyu

  • 1 colher de sopa de mirin

  • ¼ colher de chá de uma erva aromática a gosto (seca ou em pó)

  • 3 molhos de bok choy.

Cozinhe a soba conforme as instruções da embalagem. Escorra e lave com água fria para parar a cozedura e reserve. Entretanto prepare os vegetais.

Numa panela grande em fogo médio, refogue o gengibre e o alho no óleo de sésamo, cerca de 30 segundos, até sentir o aroma. Amacie com o mirin mexendo para remover o que poderá estar colado. Adicione o shoyu, a erva aromática seca ou em pó e os caules de bok choy. Refogue cerca de 2 minutos. Adicione a restante bok choy e refogue por cerca de 3-5 minutos, até se tornarem mais verdes e macios e embora ainda levemente crocantes. Misture a soba e deixe aquecer um pouco.

Divida a mistura de soba igualmente por 4 pratos. Cubra com dois pedaços de tempeh grelhado e sirva de imediato.

daniela ricardo - receitas 1

Tempeh grelhado com gengibre

O tempeh é normalmente um produto de soja fermentado, que é considerado o “caviar” dos vegetarianos e que tem tudo para cair nas graças dos amantes dos temperos. Em estado bruto é discreto e só revela sua personalidade quando salpicado com shoyu, pimenta ou outras especiarias. Hoje, graças ao Salvatore Lucherino, do Sal´s Tempeh, temos à nossa disposição tempeh a partir de outras leguminosas como o feijão azuki e o grão-de-bico, sempre feito de modo artesanal. Se puderem não deixem de experimentar.

Ingredientes:

  • 250g de tempeh

  • ½ chávena de chá de água

  • 1 colher de sopa de miso de cevada

  • 2 colheres de sopa de shoyu

  • 1 colher de sopa de gengibre fresco ralado

  • 1 dente de alho picado

  • 1 colher de sopa de óleo de sésamo


Corte o tempeh em 8 fatias e cozinhe-as ao vapor 10 minutos. Enquanto o tempeh cozinha, misture o óleo, a água, o miso, o shoyu, o dente de alho e o gengibre, até ficar bem agregado. Coloque o tempeh envolvido nesta mistura e deixe-o marinar durante duas horas (ou de preferência de um dia para o outro).

Na hora de servir aqueça um grelhador. Quando o grelhador estiver quente, cozinhe o tempeh cerca de 3-4 minutos de cada lado. Pincele cada lado do tempeh com a marinada e não se esqueça que este deve ficar com marcas de grelhar, pois torna-se mais agradável ​visualmente.

Sirva em cima de massa acabada de fazer, como a soba salteada com bok choy.

Atreve-te a ser diferente!

Alimenta-te de uma forma consciente!
Daniela Ricardo

Deixe-nos o seu comentário!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *